Experiências

Experiências

X

Pague Menos

A Empresa

A Pague Menos é uma das maiores redes de farmácias do Brasil, estando entre as 250 maiores e melhores empresas do país segundo a revista Exame. Em 2013, obteve faturamento de quase 3,8 bilhões de reais. A rede possui mais de 670 lojas em todo o território nacional e mantém taxas de crescimento próximas de 25% ao ano, gerando mais de 17 mil empregos.

 

Desafio

Esses índices positivos são, em parte, fruto de um investimento maciço na área de TICs da empresa. O ano ainda era 2011 e a Pague Menos desejava que o futuro já trouxesse resultados ainda melhores do que os registrados pela empresa na época. A necessidade era implementar uma nova governança corporativa de TI capaz de atender as exigências de mercado de uma empresa de capital aberto. Além disso, era preciso comprovar,  junto às operadoras de cartão de crédito a segurança nas milhares de transações diárias dos clientes. A TI passava a ser um elemento primordial para redução de riscos das operações e garantia de melhor qualidade dos serviços.

Solução

Cenário analisado, optou-se por trabalhar com a solução IBM Rational. Um dos desafios iniciais foi integrar o sistema já existente (o Tivoli, também da IBM) para a nova plataforma. Dessa forma, todo o framework de governança, fundamentado em ITIL V3, pudesse fluir dentro das demandas solicitadas pela Pague Menos.

Benefícios

A implantação da solução Rational possibilitou a gestão mais dinâmica e detalhada de todo o ciclo de vida da aplicação. Como benefícios, notou-se tanto uma maior integração entre as equipes participantes do processo quanto uma gestão facilitada dos projetos executados.
A comunicação e geração de relatórios também foi bastante facilitada. Após a solução, 100% dos indicadores passaram a ser coletados de forma automática impactando na diminuição do overhead de coleta de dados antes da plataforma Jazz.
A solução impactou numa diminuição de 39% na quantidade de defeitos, devido a garantia de rastreabilidade entre os artefatos das disciplinas e uma maior segurança no desenvolvimento. Além disso, houve uma melhoria de 22% na assertividade dos prazos para a correção de defeitos.

X

DIMEP

A empresa
Pioneira e líder nacional no mercado de produtos para controle de acesso, segurança e ponto e gestão de estacionamentos e frotas, a DIMEP está no mercado há mais de 75 anos, totalizando mais de 80 pontos de venda em todo o Brasil e estendendo sua atuação para além das fronteiras do Brasil, chegando a outros países da Américas Latina e do Norte, Europa e África.

Uma organização deste porte certamente não estaria aquém das exigências de vanguarda tecnológica. Por isso empenha-se em produzir, no seu próprio laboratório de desenvolvimento, os produtos que serão, em um futuro não tão distante, os melhores cases do segmento.

 

O desafio
O grande desafio da DIMEP é crescer a participação nos demais segmentos que atua: controle de acesso, gestão de estacionamentos e gestão de frotas. Diante da quantidade de projetos e da pluralidade de sua atuação, a Dimep passou a carecer de uma ferramenta capaz de gerenciar com excelência o ciclo de vida dos seus produtos, que incluem artefatos de hardware e software.
O processo de desenvolvimento da empresa estava em estágios iniciais. Isso era crítico para uma equipe grande e distribuída e que trabalha em soluções de software com um grande número de funcionalidades.

A solução
A empresa trabalhou junto à Pitang em uma metodologia capaz de fornecer ao laboratório de inovações da Dimep um controle eficaz dos produtos . Entrou em cena o IBM com a Plataforma Jazz, que auxiliou a equipe Dimep a gerenciar e integrar as diferentes atividades que compunham o ciclo de vida das soluções.

Auxiliados pela Pitang, os profissionais da Dimep puderam extrair da solução implantada todo o seu potencial. A capacidade da Plataforma Jazz de trabalhar com várias linguagens de programação, além de possibilitar um cenário de colaboração e gerenciamento entre os desenvolvedores impulsionou maior controle e assimilação de processos, visualização de relatórios e gestão de versões compiladas.

Outras soluções IBM também foram implantadas. O DOORs Next Generation focou nos requisitos de software dos projetos. Os testes foram gerenciados pelo Rational Quality Manager (RQM). Já o Rational Reporting Development Intelligence (RRDI) foi utilizado para a geração de relatórios e Dashboards.

O projeto de implantação, treinamento e mentoring durou 4 meses. A passagem da tecnologia e absorção pela equipe da DIMEP foi bastante rápida.

Benefícios

A DIMEP melhorou significativamente a qualidade de software, reduzindo o nível de correções preventivas em quase 75%. Assim, evitando que novos produtos fossem ao mercado gerando problemas para os seus clientes.

A empresa também passou a ter maior grau de previsibilidade, tornando-se mais precisos nas estimativas e no cumprimento dos prazos alcançando assim uma gestão mais sistemática.
A coordenação do trabalho de equipes geograficamente distribuídas (São Paulo, Recife e Porto Alegre) foi facilitada. O processo passou a ocorrer de forma extremamente natural, como se as equipes estivessem no mesmo ambiente físico.

X

NE 10

A empresa

Nascido em 1994, o NE10 é o maior portal do Nordeste. Integrante do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação, oferece, além de notícias, uma série de serviços ao internauta, incluindo capacitações, ofertas de emprego, dicas de entretenimento, delivery em parceria com restaurantes da região metropolitana do Recife, venda de ingressos para shows, entre outros. Possui média de 10 milhões de visitantes por dia.

O desafio

O NE10 já estudava uma modernização no layout do portal. Entretanto, as modificações dos elementos exibidos pelo site dependiam exclusivamente do departamento de TI. Os jornalistas desejavam gerenciar a diagramação de forma mais fácil e autônoma.
Também estava em pauta analisar novas ferramentas que tornassem o site ainda mais acessível, otimizando sua responsividade.

A solução

A Pitang desenvolveu a reforma estrutural do layout e da administração de conteúdo do portal NE10.
A edição do layout da home ficou mais simples: foi implementado um recurso drag and drop, que já oferece elementos de conteúdo com design padrão prontos para serem distribuídos em uma página sem a necessidade de um programador.
O acesso ao sistema se tornou mais fácil e seguro. Editores distribuídos geograficamente podem acessar a ferramenta e submeter matérias para publicação no portal, de onde estiverem.
A equipe Pitang também atentou para a otimização do código, bem como a armazenagem dos dados, dada a grande quantidade de acessos. Para ganhar performance, o front-end do site não acessa a banco de dados: cada atualização da home gera versões estáticas que são armazenadas em cache. O tempo de resposta foi melhorado tanto para o leitor quanto para o jornalista que alimenta a ferramenta.
Todo o processo foi centrado em testes de usabilidade com os profissionais do NE10 que iriam interagir diretamente com a administração do portal. Os leitores do site também foram incluídos no desenvolvimento. Um grupo de usuários participou da aprovação do novo layout final.

Benefícios

  • Maior autonomia da equipe de editores e jornalistas para organização do layout do site.
  • Fácil personalização dos elementos que compõem o layout das páginas, por meio do recurso drag and drop;
  • Otimização de desempenho do site.
X

Ministério Público

O Ministério Público é uma instituição permanente de auxílio ao Estado para garantir os serviços de relevância pública (saúde, educação, transporte e segurança), defender o patrimônio público e os direitos à vida e à saúde. A instituição também trabalha como denunciante de crimes.

Desafio
Devido a sua atuação plural, o Ministério Público acaba por trabalhar com uma quantidade grande de autos (tanto extrajudiciais como de processo). Diante deste volume elevado, o atendimento rápido exigido pela sociedade fica, em algumas situações, comprometido. A gestão destas informações também incluía métodos e procedimentos manuais, por vezes auxiliados por sistemas informatizados que não conferem a excelência desejada ao gerenciamento eletrônico de documentos.
Por isso, a instituição carecia de uma plataforma mais robusta e dinâmica, capaz de atenuar essas questões e melhorar a integração com outros softwares utilizados pelas demais instituições jurídicas. Além da busca por maior eficiência, o Ministério Público precisava se adequar as diretrizes de informatização do processo judicial de 2006.

Solução
Após o levantamento de requisitos, a Pitang apresentou o sistema Arquimedes como solução para dar mais celeridade aos processos internos de tramitação de documentos.
O sistema passou a controlar documentos e processos que tramitam dentro do Ministério Público. Ele agiliza o cadastro, distribuição e controle dos autos, inquéritos, entre outros documentos, organizando-os de acordo com as atividades desenvolvidas pelo jurista que recebe o documento. O sistema também oferece integração com outros softwares do poder judiciário local, aumentando a atuação em rede das instituições, facilitando sua colaboração. A integração do Arquimedes com o software do Tribunal de Justiça, por exemplo, permite a identificação de processos que o Ministério Público é citado e até fazer petições para o Tribunal.

Benefícios
A implantação do Arquimedes permitiu ao Ministério Público:
•     Aumento da eficiência na gestão eletrônica de documentos
(GED), trazendo facilidade ao acompanhamento
da tramitação dos autos;
•     A padronização no registro dos autos;
•     Maior transparência e segurança na distribuição das
informações pertinentes à atividade jurídica da instituição;
•     O armazenamento inteligente de dados, com criação
de uma base única;
•     Facilita comunicação com o Tribunal de Justiça.

Onde foi implantado

O Arquimedes foi implantado nos ministérios públicos de PE, PB, SE, MA, CE, ES, AM e TO. 

X

BBMNET

A instituição

A Bolsa Brasileira de Mercadorias (BBM) é uma associação civil, sem fins lucrativos, criada para ser um Centro de Agronegócios Brasileiro, para realização de transações de produtos agropecuários e de outros bens e serviços, além de títulos representativos de operações com mercadorias e serviços, tais como Cédulas de Produto Rural, entre outros.

A BBM foi criada em 22 de outubro de 2002 como resultado da união das Bolsas de Mercadorias: de Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Uberlândia, mais a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), cujo objetivo era instituir uma bolsa norteada em princípios de economia de mercado, notadamente quanto ao acesso igualitário dos participantes, em ambiente de livre formação de preços, assegurando competitividade e transparência em todo o processo de negociação.

O desafio

A Bolsa Brasileira de Mercadorias lançou em setembro de 2010 uma nova plataforma de licitações e compras eletrônicas, o BBMNet, que operava em três modalidades: Pregão para aquisição de bens e serviços, Cotação para aquisições de bens de menor valor (dispensa); e Leilão para venda de bens inservíveis.

O sistema estava preparado para realizar eletronicamente tanto as licitações e os leilões promovidos pelos órgãos da administração pública, quanto as compras e os leilões promovidos pelas empresas do setor privado.

O objetivo da Bolsa com o seu sistema de licitações e compras eletrônicas era o de proporcionar aos usuários do sistema maior segurança, agilidade, customização de recursos, economia de tempo e controle eficiente das licitações e compras, tudo com transparência, favorecendo a prestação de contas e, principalmente, contribuindo para uma importante redução dos custos das aquisições e contratações pelos órgãos públicos.

O sistema implantado em 2010 apresentava algumas restrições de funcionalidade e possuía uma quantidade alta de incidentes registrados e problemas de disponibilidade, além de apresentar tempo de resposta considerado insuficiente para as negociações realizadas.

A solução

Coube então a Pitang, em 2011,  realizar o diagnóstico do sistema que encontrava-se em produção e implementar a reestruturação do módulo de cadastro,  consulta e publicação de editais e lotes para negociação. A plataforma de negociação foi completamente reformulada visando atender às necessidades de simplicidade, alta disponibilidade, excelente tempo de resposta e manutenabilidade da solução.

Após etapa inicial de diagnóstico e mapeamento das necessidades, a Pitang realizou a entrega da nova solução em 11 meses. Uma solução distribuída desenvolvida em .NET Framework 3.5 que utiliza NHibernate para mapeamento objeto-relacional e Windsor para inversão de controle de injeção de dependências, além de serviços WCF para atendimento as requisições. Para a solução da plataforma de negociação, foi utilizado ainda um componente de cache NCache, o gerenciador de fila RabbitMQ e uma solução de Long Pooling para atender aos requisitos de tempo de resposta durante, principalmente, a etapa de lances.

Além do desafio técnico, a Pitang se adaptou ao processo de desenvolvimento do cliente, utilizando seus modelos, padrões e guias.

Com essa solução, a BBM obteve uma plataforma estável, leve e rápida para realização das negociações públicas e privadas de pregão, cotação e leilão para venda de bens inservíveis.

X

ONS

A instituição

Criado em 1998, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é a entidade responsável pela coordenação e controle da operação das instalações de geração e transmissão de energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN). É fiscalizado e regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Entre suas atividades está o desenvolvimento de estudos e ações para gerenciar o estoque de energia de forma a garantir a segurança do suprimento contínuo em todo o País.

O desafio

A Pitang foi contratada em 2013 visando o desenvolvimento remoto de sistemas a partir de especificações estabelecidas ou validadas pelo ONS e em conformidade com o processo de desenvolvimento do cliente, utilizando seus templates, padrões e guias. A precificação do serviço é baseada no tamanho da aplicação, medida em Pontos de Função.

Durante todo o ciclo de desenvolvimento o projeto é submetido a um rigoroso acompanhamento do atendimento aos níveis mínimos de serviços previstos em SLA, sendo aplicados os procedimentos necessários à garantia de atendimento aos requisitos funcionais, custos, riscos envolvidos, prazos e qualidade.

Portfólio de Projetos

Até o presente momento a fábrica de software da Pitang já executou ou vem executando aproximadamente 6.500 Pontos de Função distribuídos em oito projetos.

Devido à complexidade e criticidade das aplicações do ONS, os requisitos de performance e disponibilidade são arrojados, o que se traduz numa solução arquitetural complexa, para isso foi definida uma arquitetura lógica de sistema distribuído para atender a arquitetura física da infraestrutura do ONS. Trata-se de uma arquitetura em camadas, onde temos a separação física da camada de apresentação da camada de serviços de negócio. A camada de negócio é disponibilizada por meio de serviços, nesta camada é criado um contexto transacional com auxílio do container de IoC, que gerencia o ciclo de vida de todos os componentes da arquitetura, contribuindo para o desacoplamento e coesão entre estes. Na camada de acesso a dados é utilizado um framework persistência que garante a independência do banco e para as demais camadas. Todas as definições são orientadas pelas boas práticas de sistemas distribuídos.

Como tecnologia destacamos o uso da Plataforma .NET e os bancos de dados Informix e SQLServer além dos frameworks Castle Windson, WCF, Log4Net, Entity Framework, Quartz.NET, WebAPI, SignalR, AngularJS, jquery, bootstrap entre outros. Todo ciclo de desenvolvimento é apoiado pelas ferramentas Visual Studio .NET - IDE do framework .NET,SharePoint, BizTalk - ferramenta de ESB, SSIS - SQL Server Integration Services, TFS -Team Foundation Service, EA - Enterprise Architecture.

Abaixo o detalhamento dos principais projetos:

WebPMO:

Sistema de automatização dos processos e gestão das informações que compõem o Programa Mensal da Operação (PMO). Em linhas gerais, o WEBPMO é um sistema web para coleta de dados que disponibiliza um canal através do qual as diferentes entidades que compõe o sistema elétrico brasileiro podem enviar as informações necessárias para o planejamento das operações.

O WEBPMO provê um sistema completo de gerenciamento eletrônico de documentos desenvolvido com tecnologia .Net Framework 4 e hospedado em servidor web com IIS. O Microsoft SharePoint foi utilizado com o intuito de disponibilizar os recursos de Gestão Eletrônica de Documentos para os usuários, criando um repositório único a ser utilizado por todas as áreas participantes do PMO

GERLIM:

O objetivo do projeto é produzir um software capaz de ser um ponto único de referência sobre a informação de limites para todo o ONS e Agentes, mantendo as informações de vigência e versões destes limites.

O sistema GERLIM provê meios sistêmicos de gestão do fluxo de limites, englobando todo o ciclo de vida de alteração dos limites, desde a solicitação de alteração do valor pelo agente até a produção do documento normativo e implantação automática de limites vigentes no Sistema de Supervisão e Controle.

GPDO:

O projeto contemplou a evolução do Processo de Elaboração do Programa Diário da Operação, o PDO.

Componentes Corporativos:

O objetivo do projeto foi construir quatro componentes corporativos, para uso pelos sistemas do ONS:

  • Schedule - Componente que oferece um monitor de agendamento de tarefas, capaz de visualizar o que está agendado, situação, mensagens de retorno e link para ações sob a tarefa. O modulo de execução permite executar DLLs .NET, webservices e apis.
  • Repositório de Arquivo – Componente para salvar e recuperar arquivos em diferentes formatos, síncrono ou assíncrono, com preservação de integridade do arquivo e notificação quando a tarefa estiver completa. Esse componente permite reuso, possuindo contratos para abstrair a camada de apresentação da camada de execução, que pode estar em outro servidor físico.
  • Logging - Componente capaz de abstrair os diferentes controles de logs da aplicação, podendo delegar o tratamento da mensagem conforme características da origem para o responsável. Permite configuração do nível de log desejado, captura de logs do tipo: erro, warning, info, crítico e decoração de métodos e classes.
  • Email - Componente para enviar emails de forma agendada e baseado em templates configuráveis.

SICOP:

Tem como objetivo o desenvolvimento de módulo especifico para a gestão de intervenções nos Centros de Operação apoiando a execução de tarefas finalísticas do ONS no âmbito dos processos da Pré-Operação e operação em Tempo Real.

O projeto SICOP contou com o diferencial de ser piloto no ONS na utilização de testes automatizados.

SGPV:

O objetivo do projeto é desenvolver um sistema que suporte o processo de previsão de vazões, tornando-o mais ágil, rastreável, reprodutível e automatizado visando diminuir riscos do processo, otimizar os recursos envolvidos e aumentar a qualidade dos resultados obtidos.

SCPCB:

Tendo como principal objetivo desenvolver uma solução robusta para a automação do processo de consolidação das previsões de carga por barramento para estudos elétricos elaborados pelo ONS, Agentes de Distribuição e demais Agentes. A solução compreende todas as etapas de aquisição e processamento de dados, análise e disponibilização de informações às áreas clientes.

SGPDES:

Tem como objetivo desenvolver uma solução para reconstruir a solução tecnológica, que apoia o atual processo de programação diária, assegurando que equipes envolvidas atuem de forma ágil e integrada, compartilhando conhecimento sobre regras e decisões do processo. A solução compreende todas as etapas da programação diária de carga, geração e intercâmbios, para garantir que todos os envolvidos tenham as informações necessárias para decidir e responder rapidamente de forma colaborativa e integrada. 

X

Petrobras

A instituição

A PETROBRAS – Petróleo Brasileiro S.A. – é a empresa líder do setor petrolífero no Brasil, além de atuar em outros 17 países. Atua como uma empresa integrada de energia nos setores de exploração e produção, refino, comercialização, transporte, petroquímica, distribuição de derivados, gás natural, energia elétrica, gás-química e biocombustíveis.

Desde a sua criação em 1953, a empresa estabeleceu a pesquisa como base primária para o seu desenvolvimento e crescimento. Isto resultou no reconhecimento da empresa como uma das mais inovadoras no setor petrolífero e de energia do mundo, líder mundial em tecnologia para exploração e produção em águas profundas e ultraprofundas, além de ser a empresa brasileira que mais registra patentes no país.

O desafio

As atividades de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) da PETROBRAS estão centralizadas no CENPES - Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello, um dos complexos de pesquisa aplicada mais importantes do mundo e o maior da América Latina.

Os projetos de P&D são executados internamente ou em parceria com outras cem universidades e institutos de pesquisa brasileiros, através de 49 redes temáticas.

O controle da carteira destes projetos era realizado parcialmente através de uma base de dados Access centralizada em um único departamento do CENPES. As demais informações estavam em papel ou em planilhas. Tudo isto dificultava a comunicação entre os diversos atores, ocasionava falta de padronização das informações dos projetos, falhas nas prestações de contas, dificuldade no controle dos investimentos da carteira e envio das informações para os órgãos reguladores.

A solução

Tendo como base o PROMPT, produto comercializado pela PITANG, foi criado o SIGITEC – Sistema de Gestão de Investimentos em Tecnologia. A solução sistematizou toda a gestão dos projetos de Pesquisa & Desenvolvimento realizados em parceria com instituições nacionais. A ferramenta implementa todo o ciclo de vida dos projetos, englobando as seguintes etapas do processo de gestão:

  • Elaboração e submissão de novas propostas;
  • Avaliação e análise de propostas;
  • Solicitação e análise de reformulações financeiras e aditivos;
  • Elaboração e análise de prestações de contas;
  • Submissão de relatórios técnicos e de acompanhamento;
  • Encerramento de instrumentos contratuais.

Após a execução bem sucedida da primeira etapa do projeto, novos módulos foram sendo incorporados ao SIGTEC, tais como:

  • Controle do trâmite da contratação de todos os tipos de instrumentos contratuais necessários ao CENPES, desde a solicitação de início da contratação até a aprovação e assinatura pelos gestores da PETROBRAS, de acordo com seus níveis de competência;Descrição: https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif
  • Geração das minutas de instrumentos contratuais e aditivos de acordo com o tipo de instrumento contratual;
  • Geração e acompanhamento do Relatório Demonstrativo Anual (RDA) para a ANP – Agência Nacional de Petróleo, no que concerne aos projetos regulados por esta agência;
  • Coleta de dados e acompanhamento do processo de fiscalização de projetos de acordo com as exigências da ANP;
  • Geração e controle de toda interface de comunicação necessária para envio da documentação dos projetos regulados pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica.
X

PROUNI

A instituição

A Secretaria de Juventude e Qualificação Profissional é o órgão da Prefeitura da Cidade do Recife responsável pelas políticas públicas voltadas a Juventude. Dentre as suas atribuições destacam-se a qualificação de mão de obra, fomento ao setor produtivo através de parcerias e implementação de capacitação dos jovens no município.

O desafio

A Secretaria de Juventude e Qualificação Profissional lançou o programa PROUNI Recife como forma de promover uma política pública voltada à garantia de acesso ao mundo acadêmico a segmentos que, historicamente, têm dificuldade de acesso à educação superior.

Neste contexto, são oferecidas bolsas de estudo integrais em universidades particulares para jovens estudantes de baixa renda, professores da rede municipal, afrodescendentes, indígenas e portadores de deficiência. Em contrapartida há renúncia fiscal do governo municipal de parte do ISS cobrado as instituições de ensino que ofertaram estas bolsas.

O grande desafio da Pitang foi montar um time de alta performance e desenvolver a aplicação contemplando todas as regras do programa em menos de dois meses, uma vez que a aplicação deveria estar no ar em meados de julho/15 para atender o prazo definido em lei e assim os estudantes pudessem fazer as inscrições e começar a usufruir das bolsas já no segundo semestre letivo deste ano.

A solução

O projeto foi composto de dois módulos distintos: Internet e Intranet. O módulo Internet foi desenvolvido para utilização dos candidatos/bolsistas e pelos usuários das instituições, enquanto que o módulo Intranet foi desenvolvido para usuários da Secretaria da Juventude.

Descrição: https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gifAs principais features desenvolvidas foram as seguintes:

Internet

  • Cadastro dos candidatos por processo seletivo;
  • Cadastro das instituições credenciadas;
  • Comprovação da documentação para confirmação de matrícula dos candidatos;
  • Manutenção de bolsistas;
  • Controle de transferência entre instituições.

Intranet

  • Cadastro de processo seletivo;
  • Ranqueamento de candidatos, levando em consideração todas as regras estabelecidas na legislação do programa, inclusive os critérios estabelecidos para as políticas afirmativas, vagas para professores do ensino público e as vagas de concorrência geral.
X

Queiroz Galvão

Instituição

O Grupo Queiroz Galvão começou sua trajetória de sucesso com a fundação de uma pequena construtora em Pernambuco, em 1953. Juntos, os irmãos Dario, Antonio, João e Mário estabeleceram o negócio e iniciaram os trabalhos com pequenas obras de saneamento e pavimentação de estradas.

A entrada no cenário nacional da construção civil foi dada com a conquista de uma grande obra rodoviária no Estado de São Paulo. Aos poucos, com sua expertise, a Queiroz Galvão consolidou sua marca no país. Na década de 60 já estava presente dos estados do Paraná, Espirito Santo e Minas Gerais.

Ao longo dessas seis décadas, a Construtora Queiroz Galvão modificou a paisagem brasileira de norte a sul com projetos em todo o Brasil.

Com a conquista do mercado nacional já consolidada, o Grupo Queiroz Galvão expandiu suas fronteiras e conquistou o mundo. Hoje atua na América do Sul, Caribe e África.

O desafio

A grande maioria das obras da construtora Queiroz Galvão envolve um grande número de recursos humanos e equipamentos, que podem ser próprios ou de terceiros. Estes recursos devem ser controlados com a finalidade de executar o pagamento dos terceiros e consequentemente o acompanhamento dos custos das obras. Atualmente este controle é feito de forma quase que totalmente manual e é impraticável a identificação com assertividade das horas improdutivas de equipamentos e recursos humanos.

Além disso, algumas obras possuem uma área enorme que nem sempre é coberta pelo sinal de Internet, dificultando o uso da rede para este trabalho.

A Solução

Coube a Pitang desenvolver uma solução que oferecesse a facilidade da coleta da informação em tempo real em um canteiro de obras, ao mesmo tempo em que fosse capaz de consolidar toda esta informação em um painel gráfico.

Foi desenvolvido um aplicativo para celular e tablet Android responsável pela captura de dados dos recursos humanos e equipamentos da obra, utilizando tecnologias que facilitem esta coleta como, NFC, QRCode e Código de Barras. Este aplicativo é capaz de rodar off-line, pois algumas áreas da obra não são cobertas pelo sinal da rede sem fio da Queiroz Galvão.

Todos os dados coletados são enviados para o servidor sempre que há rede disponível. Estes dados são apresentados em um painel. Este painel apresenta a alocação de cada recurso humano e equipamento da obra, inclusive se eles estão improdutivos. São informados alertas de equipamento em reparo ou eventos improdutivos. Através do painel o operador pode enviar mensagem para o dispositivo móvel do responsável pelo apontamento.

X

Banese

A instituição

Em 1961, o Banese é criado com a denominação de Banco de Fomento Econômico (BANFESE), no Governo de Luiz Garcia. Em 02 de janeiro de 1964, o Banco inicia as suas atividades, durante o Governo de Seixas Dória. Seu primeiro presidente foi o jornalista Orlando Dantas, que, no dia da inauguração, pronunciou discurso salientando o importante papel que deveria ser desempenhado pelo Banco de Fomento no desenvolvimento econômico de Sergipe, acrescentando que o Banco iria crescer e se tornar um dos mais importantes do Estado.

O desafio

Os principais objetivos deste Projeto foi justamente viabilizar a colaboração entre as disciplinas de Requisitos, Qualidade e Gestão Mudança e aumentar o controle e gestão da interação entre as diversas equipes de trabalho na execução das Mudanças e Desenvolvimento de Software no BANESE, proporcionando consequentemente uma Gestão de Mudanças nos Artefatos produzidos.

A solução

Estrategicamente este Projeto adotou como primeira fase a implantação em uma equipe restrita e de apenas 4 ferramentas, RTC, RRC, RQM e RFT, com isto passamos a utilizar as ferramentas em modelo experimental nesta equipe que puderam vivenciar e sugerir mudanças e customizações na plataforma, a equipe da Pitang então fez as devidas adequações da Ferramenta ao nosso Processo e em uma segunda fase realizamos a implantação definitiva no ambiente BANESE, expandindo para os demais envolvidos e iniciando um trabalho de mentorização. Todo o trabalho foi pautado em Treinamentos, Workshops e Reuniões contínuas para que fosse possível realizar a mudança cultural das equipes envolvidas. Atualmente temos toda a equipe utilizando a plataforma, e ainda pretendemos evoluir o uso para que possamos obter o benefício da rastreabilidade e análise de impacto das mudanças, além dos diversos outros benefícios proporcionados pela ferramenta, temos ainda como terceira fase deste projeto a implantação e integração das ferramentas de Modelagem de Sistemas e Dados com a plataforma JAZZ, além das integrações do RTC com as demais ferramentas (Clarity e ServiceDesk) que utilizamos no BANESE.   Antes da execução deste Projeto, tínhamos uma realidade bem diferente e bastante complicada, aonde os artefatos de requisitos e testes eram gerados em editores de textos e planilhas eletrônicas e armazenados em locais diferentes, cada um com um padrão distinto e utilizando diversas ferramentas para integração das equipes.

X

Banco Votorantim

A instituição

O Banco Votorantim é atualmente um dos maiores bancos brasileiros em ativos e conta com uma base de acionistas robusta, formada por uma parceria estratégica entre o Banco do Brasil, maior instituição financeira do País, e o Grupo Votorantim – um dos maiores conglomerados privados da América Latina.

Fundado em 1988 como uma distribuidora de valores mobiliários (DTVM), o Banco Votorantim S.A. passou a operar como banco múltiplo a partir de 1991.

Historicamente, atuava principalmente nos segmentos de atacado, tesouraria e investimentos. Nos últimos anos, o Banco Votorantim tem crescido e ampliado seu escopo de atuação, buscando aumentar sua base de receitas e ativos por meio de um portfólio diversificado de negócios, internamente classificados em Atacado e Varejo.

O desafio

O maior desafio é termos uma área de tecnologia mais eficiente através de inúmeros aspectos, entre eles:

  • Aumento da produtividade da equipe de desenvolvimento;
  • Aumento da qualidade dos softwares implantados;
  • Aumento da capacidade de gestão através de informações granulares e consolidadas;
  • Rastreabilidade de informações para atender regulações internas e externas;
  • Melhores processos de desenvolvimento, como integração continua e DevOps;
  • Aumento da produtividade de implantações através de processos automatizados;
  • Geração de indicadores de desempenho;
  • Visão atualizada de todo o ciclo de desenvolvimento;
  • Soluções segmentadas evitando problemas de integração e suporte.

A solução

Com o projeto estão sendo alcançados diversos benefícios, dentre eles destacamos a implantação de soluções para processos anteriormente executados manualmente e a substituição de ferramentas (Jenkins, SubVersion, Mantis, Excel, Work, Robô Publicador) pela plataforma Jazz nas suas inúmeras disciplinas.

As seguintes ferramentas foram implantadas:

RTC - Flexibilidade no processo de desenvolvimento e melhor controle na gestão dos códigos das aplicações. Mais de 1.000 componentes de código que precisam ser cuidadosamente gerenciados e controlados.

RDNG – Consolidação de toda a documentação do sistema e possibilidade de reaproveitar planos de testes, inclusive direcionando a confecção dos mesmos através das alterações que realmente foram feitas na plataforma.

UrbanCode Deploy - integrado a toda a solução utilizada pela equipe de desenvolvimento, criando a ponte do DevOps.

X

TCE PE

A Instituição

O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco é um órgão público com autonomia administrativa e financeira em relação aos Três Poderes (Legislativo, Executivo e Judiciário). Sua função é a de auxiliar o Legislativo no controle externo de toda a Administração Pública.

Compete ao TCE-PE examinar a legalidade, legitimidade, economicidade e razoabilidade de qualquer ato administrativo de que resulte receita ou despesa. A ele também cabe verificar os atos que provoquem renúncia de receita, que é quando o ente público deixa de arrecadar os recursos que lhe cabem. Esta fiscalização ocorre em todos os Poderes do Estado e nos 184 municípios pernambucanos, incluídas as entidades públicas com administração descentralizada, a administração indireta (autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista), enfim, quem tiver sob sua guarda e responsabilidade dinheiros, bens ou valores públicos, está sujeito a prestar contas ao Tribunal. 

O desafio

Com a terceirização do desenvolvimento de parte dos seus softwares e a necessidade de planejamentos e controles mais precisos em seus projetos internos, o desafio da Pitang foi preparar a equipe do cliente para atender aos contratos de desenvolvimento de software remunerados em pontos de função, e apoiar na gestão de seus projetos a partir de indicadores obtidos com a métrica de APF.

A solução

A consultoria teve início com a elaboração de um curso e laboratório de métricas como treinamento da teoria e prática sobre medição de software para a equipe, utilizando as abordagens da técnica de análise de pontos de função adotadas pelo mercado.

Foi realizado um mentoring com alguns dos multiplicadores da equipe para evolução das práticas de medição a partir de demandas de desenvolvimento de software já lideradas por essas pessoas.

Outra etapa importante do projeto foi a montagem de um comitê junto ao cliente para definição das diretrizes de medição a serem seguidas por toda a área de desenvolvimento de software e seus prestadores, que determinam o processo a ser executado nos contratos de prestação de serviço remunerados em pontos de função, e também a criação de uma base histórica consistente, padronizada e categorizada das medições de seus projetos para geração de indicadores de apoio a gestão.  

Benefícios

Possuir um padrão de medição a ser seguido pelos funcionários, fábrica de software e fábrica de métricas terceirizadas, possibilitando uma eficiência na análise, construção e alinhamento das contagens realizadas.

Ter insumos para uma gestão de projetos competente e efetiva a partir das informações geradas pela base histórica das medições de seus projetos de software.

Maior controle e transparência dos custos de desenvolvimento e manutenção de software, obtidos com as auditorias dos projetos de medição dos serviços prestados. 

Depoimentos